domingo, 7 de setembro de 2014

É uma opção



Lembro-me que há uns anos, na altura de decidir o que queria fazer no secundário, decidi automaticamente por ciências e tecnologias. Não era por saber o que queria fazer depois do secundário, porque nessa altura até andava com ideias de seguir psicologia. Também não era por ter melhores notas às ciências porque safava-me muito melhor nas outras disciplinas. Mas o meu grupo de amigos foi para aquele curso e eu não queria deixá-los. Foi uma estupidez na altura. A verdade é que eu não tive um aconselhamento propriamente dito antes de tomar uma decisão dessas. Os meus pais não tinham conhecimento suficiente para interferirem, não tinha família com experiência no ensino superior, e não me dava com pessoas mais velhas. Acabou por se revelar numa boa decisão, mas podia não ter sido.

Este ano foi a vez do meu irmão fazer essa escolha. E decidiu por humanidades. Porquê? Porque a psicóloga que os orientou lhes disse que era um curso mais fácil. E desculpem, mas não sei que tipo de psicóloga diz uma coisa dessas. Não acho que seja o mais indicado para ele, mas aos 14 anos nem sempre temos capacidade para ouvir o que os outros têm a dizer. Ele não sabe o que quer fazer depois do secundário, como é normal, mas odeia história e tudo o que tenha a ver com línguas. E eu pergunto-me o que é que ele vai para lá fazer.

Ele tem mais sorte do que eu tive na altura, tem mais pessoas que o podem aconselhar. Mas não ouve ninguém.

Como foi convosco?

9 comentários:

JS disse...

Talvez o problema não seja por ele não ouvir ninguém, mas por ninguém conseguir fazer-se ouvir.
É difícil chegar a um jovem de 14 anos...

Mara disse...

eu fui para ciências pq não gostava de história.. humanidades estava assim, fora de questão... fiz o 10º ano e consegui passar para o 11º mas com uma média baixa, assim optei por um curso prof.! fiz exames e bem, lá vou eu a caminho da univ.

Kiara disse...

Eu segui Ciências e Tecnologias porque sempre me disseram que teria mais saída... e acho que era mesmo o único curso bom para mim. Humanidades estava fora de questão, detesto línguas! Arte, ainda pior. Restavam as Ciências e a Economia. Na altura, eu dizia que queria seguir farmácia, isto porque os meus pais diziam que não me deixavam ser professora de matemática. Mas pronto, tanto um curso como outro, eram relacionados com as Ciências, daí ter sido quase automática a escolha :b

Mara disse...

r: não, só perdi um ano..

IceQueen disse...

Eu acabei por optar por Ciências e Tecnologias por ter mais saídas, mas andei bastante indecisa entre isto e Artes Visuais. E a psicóloga da escola nem sequer me ajudou, pois, de acordo com os testes, eu tanto podia ir para uma área como para outra. Acho mesmo estúpido que a do teu irmão tenha dito isso :o

Cláudia S. Reis disse...

Felizmente tive um bom psicólogo a dar-me indicações. Como o que eu queria seguir, na altura, nada tinha a ver com o secundário em si [era música e para isso iria, depois, entrar no conservatório], o psicólogo disse-me para eu escolher aquilo que mais se adequava ao meu perfil. Por motivos óbvios escolhi Humanidades. Afinal sempre gostei de Geografia e História. Não me arrependo da escolha que fiz e felizmente ter ido para esse curso abriu-me os horizontes em termos profissionais.
Espero que o teu irmão aprenda a gostar de História porque, principalmente essa disciplina, temo-la durante os três anos. Pode sempre mudar de curso. Perde um ano mas pelo menos pode ter a oportunidade de ir para algo que gosta mais.

Espero que corra tudo bem com ele :)

Amy ☮ disse...

eu fui para ciências e tecnologias porque queria seguir medicina veterinária :)

Bu' disse...

Sempre tive uma paixão por ciências então foi fácil.
Isso de humanidades ser mais fácil não tem nada a ver, depende de pessoa para pessoa. Vamos que o teu irmão não se safa a línguas e a história?

Becas disse...

segui humanidades, estava decidido que queria ir para psicologia e em ciências tinha receio de depois nao entrar no curso que queria e onde queria.
p.s: a psicóloga se disse isso descontextualizado devia ter noção que pode estar a levar pessoas por caminhos incertos, mas tmb nao percebo nada de orientação vocacional na verdade..