segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Eu e elas


Lembro-me de que quando entrei na faculdade, ainda no início do primeiro ano, vínhamos todos cheios de amigos do secundário. E era frequente, quando ainda nos estávamos a conhecer ouvirmos a expressão "eu e a minha melhor amiga fazíamos assim". Porque todos tínhamos uma necessidade inexplicável de dizer que de onde vínhamos tínhamos lá alguém a quem podiam dar esse título. E também era frequente ver-se essas pessoas a falar diariamente com as tais melhores amigas, rotinas que tinham criado.
Eu também tinha as minhas duas melhores amigas. E também falava nelas porque eram uma parte importante de mim que estava longe. Mas não falava com elas todos os dias. É claro que quando uma estava com problemas fazíamos uma chamada em conferência e estávamos ali o tempo que fosse preciso a tentar encurtar a distância, mas não haviam hábitos diários de conversa. Nem grandes declarações ou promessas de que seríamos amigas para sempre. 
Não era por mim, mas por elas. Elas é que são pessoas de se desligarem do telemóvel, de tal modo que ter uma conversa séria e demorada por mensagens se torna impensável. E eu, embora me custasse às vezes, habituei-me a isso. 
A única coisa que "exigi" foi que pelo menos uma vez por mês tirássemos tempo para um jantar só para as 3. Mesmo que tivéssemos sem tempo, pelo menos 1 jantar por mês. E durante esse ano em que estivemos longe conseguimos manter o que levávamos do secundário. Nós que não falávamos todos os dias e que não fazíamos promessas constantemente conseguimos, e as que falavam todos os dias hoje já não se falam.

Isto para dizer que é difícil para quem fica separado com a entrada na faculdade manter determinadas relações. São novas vidas, novos hábitos, novas pessoas a entrar nas nossas vidas, novas experiências, para muitos uma liberdade que nunca conheceram. Mas é possível.

2 comentários:

Amy ☮ disse...

ainda agora começou a universidade e já estão a haver cenas dessas na minha turma... :/

r: sim, é verdade! mas aff, que gente parva :(
mas ela cantava bem, pá! :D

Mara disse...

acredito que seja possível, mas a amizade tem mesmo de ser verdadeira!!