sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Fomos amigas, um dia.


Não tínhamos uma relação propriamente sólida, consistente e de longa duração, porque embora já nos conhecêssemos há algum tempo, só no final do ano passado é que começamos a conviver como "amigas fora da universidade".
A verdade é que estava a correr tão bem que cada uma saiu do grupo do trabalho em que estava e decidimos formar um grupo novo para este ano. Até porque teoricamente os trabalhos deste ano eram mais complexos, exigiam mais tempo de contacto do grupo, e, achava eu, antes passar esse tempo de contacto com quem nos damos bem do que com pessoas que conhecemos exclusivamente das aulas.
Começou a azedar desde o início. Foi a escolha do tema, foram respostas mal dadas que tiveram uma importância exagerada para quem as recebeu, foi a falta de compreensão quando alguma tinha de faltar por ter outros compromissos, foram acusações e mais acusações porque umas brincavam mais enquanto outras estavam a trabalhar.
Há sempre duas versões da história. Ambas as partes erraram. Mas a parte que se calhar errou mais é aquela que tem mais dificuldade em dar o braço a torcer. Valha-lhes o orgulho, que lhes sirva de muito.

Só tenho muita pena pelas 2 pessoas que perdi no meio disto tudo. Eram pessoas que eu estava realmente a gostar de conhecer. E são pessoas capazes de me virar costas se um dia me encontrarem na rua.

3 comentários:

JS disse...

Amigos, amigos, negócios à parte.
O povo lá sabe porque não se devem misturar amizades com negócios. Acabamos por perder o amigo e estragar o negócio. :/

Francisca disse...

pode ser que um dia tudo volte à normalidade (:

F. disse...

Essas amizades podem voltar , mas o orgulho ...