quinta-feira, 29 de outubro de 2015

E por aqui trocam-se postais


Acho que já o disse aqui mas eu adoro tudo o que seja cartas escritas à mão ou postais. E tenho imensa pena de que a tradição de os enviar se tenha perdido. Eu sei que trocar uma mensagem ou um e-mail é muito mais prático, mais barato até, mas perde-se aquela magia, perde-se o registo intemporal daquela memória, daquela viagem.
E eu voltei a isto porquê? Porque quando estive em Itália conheci um indiano que também estudava lá e acabamos por ficar amigos. E ele quando regressou por uns tempos à cidade natal dele encontrou um postal que o fez lembrar de mim, e enviou-me. Com a mensagem escrita em inglês, claro está, a nossa relação não contempla a troca de saberes linguísticos. 
Agora é a minha vez de lhe responder pelo mesmo meio. Já comprei um postal da minha cidade, já tenho a morada dele para o enviar, e falta agora a parte mais complexa de escrever a mensagem, em inglês - duplamente complexa portanto.
Acho que já lhe posso desejar um Feliz Natal. Porque ao tempo que estas coisas demoram não deve chegar lá o pobre do postal muito antes da data propriamente dita.

5 comentários:

FME disse...

Oh que giro! Eu tenho imensos postais... Acho um piadão, mas estão todos em branco :\

Sofia Ramos disse...

Realmente é uma pena que se tenha perdido essa tradição.
É como se viesse o cheirinho da pessoa juntamente com a carta, uma coisa que não acontece com um e-mail.
Beijinho*

Nádia disse...

Também acho adorável a tradição de enviar cartas e postais. Tem um charme que as comunicações digitais nunca terão :)

Catarina disse...

Verdade :)

Indigo disse...

Já fiz colecção de postais :)