segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Já foi mais psicólogo


Confesso que já admirei mais o Dr. Quintino Aires, porque apesar de polémico, controverso e demasiado radical, achava-o pertinente e assertivo em grande parte do que dizia, diferente de todos os psicólogos que eu conhecia que não me pareciam provocar qualquer tipo de alteração em quem estavam a tratar. 
De qualquer das formas, de há uns tempos para cá a minha opinião acerca dele começou a mudar. Dizer que jovens de 26 anos sexualmente virgens são um problema de saúde pública? Dizer que pessoas contra a adoção de crianças por casais homossexuais pensam demais em sexo entre adultos e crianças? Dizer que os portugueses que emigram são cobardes, como ratos que abandonam o barco? Dizer que um praxista, é entre muitas outras coisas, alguém com insensibilidade ao outro, com desejo de omnipotência e com dificuldade em verbalizar sentimentos? Dizer que as amizades que vêm desde a infância revelam imaturidade e dificuldade em construir novas relações na vida adulta?
Acho que o excesso de mediatismo lhe fez mal, perdeu-se a coerência e o bom senso que devia ter não só como psicólogo, mas como pessoa.

1 comentário:

Catarina disse...

Este senhor "dá uma no cravo e outra na ferradura", como se costuma dizer...há coisas que ele diz que eu concordo em pleno, mas depois há outras em que eu fico a pensa 'ele disse mesmo isto?' Assim como assim, não o queria como meu psicólogo!