quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Once Erasmus, Always Erasmus



Confesso que nos primeiros dois meses depois de regressar a Portugal nem queria pensar em Itália. As saudades de casa, da minha família e dos meus amigos eram tantas que nem dava espaço para ter saudades do que tinha deixado para trás.
Mas confesso que a esta altura do campeonato as coisas já não estão como estavam. Para além de não ter qualquer tipo de projeto para o dia de amanhã, ainda tenho os meus colegas de erasmus a publicarem fotos constantemente pedindo ao tempo para voltar para trás. E ainda tenho um albúm gigante de quase 3000 e tal fotos a relembrar-me dos 5 meses mais fantásticos da minha vida. E claro, como se isto não bastasse, ainda tenho a "El Perdón" a passar na rádio uma meia dúzia de vezes por dia para me relembrar dos nossos fins-de-semana de festa.
Tenho saudades daquela fonte que foi o nosso ponto de encontro durante tanto tempo, tenho saudades das praias, dos fins-de-semana em que acordávamos para jantar e voltar a sair e de criticar cada dj que me aparecia à frente, tenho saudades da família que se formou em tão pouco tempo, tenho saudades de ouvir falar italiano à minha volta, e de falar português em voz alta sabendo que ninguém me percebia. Tenho saudades de sair a correr dos autocarros depois de ter visto um fiscal na paragem para entrar (é, foram 5 meses sem pagar bilhetes nos transportes públicos), dos gelados que comíamos duas vezes por dia por serem mais baratos que um café numa esplanada.
Tenho saudades daquilo tudo. E acho que se voltasse atrás, fazia tudo da mesma forma.